Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mais recente

Yandaef, O Sono Eterno

Yandaef , o "sono amarelo", também chamado de daedal , o "sono sagrado", é uma das dádivas de Obarath, O Justo , fornecida aos alvanes que nasceram em Grosyvast . Bela Adormecida, por John Collier (1921). Via Wikimedia Commons. Na Era Escura dos Tempos Antigos , os alvanes foram julgados pelo assassinato de Albarin , pela coroação de Yeranvath e pelas catrástofes que trouxeram a Alvarer , à Terra dos Gigantes e à Terra Dourada . Obarath propôs que, se lutassem ao lado dos humanos contra Yeranvath , os verith os deixariam viver em paz em Grosyvast , a Terra dos Homens , até que o tempo espiasse seus pecados e, só então, poderiam retornar a Alvarer reconstruída, sua terra natal. Quando questionado sobre aqueles que nasceriam nas Terras dos Homens e que por isso não teriam culpa pelos erros dos seus pais, Obarath acendeu uma chama dourada e iluminou todos os alvanes com sua luz. Ofereceu aos futuros filhos o Sono Eterno , uma possibilidade de viver os anos da es
Postagens recentes

Abidel, O Domador de Pássaros

Pai adotivo de Hargot , Abidel é um feiticeiro caçador que mora na Floresta das Grandes Árvores , em Haldom , onde se considera um "ivirez alto", embora todos saibam que se trata de um humano. Também é conhecido como Adraner . Sua casa fica em um descampado, no meio da floresta, e é guardada por falcões e harpias que impedem a entrada de curiosos. Falcão, símbolo de Abidel. Via Pixabay. Nasceu em Grovágila, a Terra da Neblina , e por isso tornou-se um dos mais poderosos bruxos. Ali, foi escolhido por Obarath como um dos Mestre da Magia , recebendo a dádiva da imortalidade. Mas, mesmo sendo um dos Mestres, foi frequentemente ignorado pelos outros por sua origem bruxa e decisões arriscadas. Ele não foi chamado para o Embate Mágico em Seniron em 348 da Era dos Reinos, evento que decidiu o futuro das orbes e contribuiu para as revoltas populares de Alvatheon . Nirener , o principal apoiador do Embate, demonstrou pesar sobre a ausência de Abidel oferecendo-lhe uma orbe vermelh

Ahrozidir, A Rosa-das-Colinas

Lírio-branco Ahrozidir é a mãe de Glaudir , protagonista de O Sangue da Deusa . Seu nome significa "rosa das elevações" ou "rosa das colinas". É filha do Velho Coris e da Velha Edrina , senhores da grande fazenda Umilzend . Conheceu Glaucor , pai de Glaudir, em 950 da Era dos Reinos, quando este estava de viagem à Cordilheira de Andrus e precisou se abrigar da chuva em Umilzend. Os olhos dela "brilhavam de encanto" com suas histórias de alvanes, huarts e gigantes. Casou-se com ele cinco anos depois e teve Glaudir em 961 E. R. É chamada pelo Velho Coris de "minha joia", provavelmente devido aos olhos verdes herdados da mãe Edrina. Olhos verdes são raros entre os ivirezes, mas Glaudir também herdou a cor. Ahrozidir morre em 997 E. R., dois anos antes do início de O Sangue da Deusa. Segundo os moradores de Havis , morreu afogada no Lago Morgoly . Sua morte teve um profundo impacto em Glaucor, que desistiu das missões em Atokuzi , e em Glaudir, que

Yeranrog, O Pai dos Nidrogs

Os nidrogs são criaturas de olhos amarelos, escamas e presas venenosas que foram bastante usados nas Guerras Antigas. Foram uma das criações de Yeranvath, O Pai dos Monstros , para compor seu exército de aberrações. Cinco generais os lideraram na guerra, supostamente os únicos seres capazes de controlar a natureza ofídica dos nidrogs. Os generais foram mortos logo antes da derrota de Yeranvath e da Queda do Império dos Dragões . Com a Caça aos Monstros que se sucedeu à derrota, os nidrogs foram os mais massacrados por terem perdido a capacidade racional, antes mantida pelos generais. Assim, aqueles que escaparam até hoje se escondem em baixo da terra, onde aguardam alguma vítima para se alimentar e de onde raramente saem para reprodução. No entanto, por algum motivo obscuro, um dos generais foi mantido vivo e, dizem, habita uma floresta que ninguém deve entrar, nem mesmo os animais. A esse suposto general, deram o nome de Yeranrog, O Rei dos Rogs (nidrogs). Você só entraria nessa f

Cloribeth, A Árvore do Centro

Cloribeth é o nome da árvore que o rei Mondinon plantou no centro de Trorivast em memória da esposa. A rainha havia sido morta por um grupo de uriarques que se esconderam no Bosque Enindrous (472 E. R.). Mondinon então pediu para Írade, filho do regente, viajar à Velha Aragus e coletar um fruto da Árvore do Paraíso . Dizia-se que a árvore havia sido plantada pela Grande Celeste Groweni, A Bela, e que crescera tanto que alcançou os céus. Írade cumpriu a missão e o próprio rei Mondinon plantou as sementes do fruto. A nova árvore também cresceu, se tornando símbolo de Trorivast. Por muito tempo abrigou os bilvoques, que ainda não tinham lar no reino. E mais tarde abrigou os mendigos e doentes que se sentiam protegidos sobre sua sombra. A água de suas raízes, eles diziam, era o que os mantinham vivos. Os huarts penduraram pedras da lua em seus galhos quando Gurdang tornou-se vassalo de Trorivast (c. 500 E. R.), e toda noite Cloribeth brilhava com a luz dessas pedras. Mas no fim da Era do

Balor, O Gigante de Fogo

Balor é um monstro que atormentava os povos alvânicos da Floresta Escura, incendiando árvores e perseguindo caçadores, até se deparar com a perspicácia de Gorean, um líder de aldeia. Quando Gorean presenciou sua vila em chamas, perseguiu Balor e prestou atenção nos gritos de fúria do gigante. Só diziam uma palavra: Sireyg. Era um nome que todos os alvanes conheciam, o nome do primeiro e último rei da Floresta Escura. Embora o povo comum acreditasse que houvesse sido morto, Gorean sabia onde Sireyg estava, já que tomara parte na conspiração que destronara o rei. Assim, Gorean dirigiu-se ao precipício onde ficava pendurada a Prisão das Torturas. Ali encontrou Sireyg acorrentado e sem língua. Gorean lhe deu um pincel, e o antigo rei, fraco como estava, não hesitou em escrever a origem do gigante de fogo. Com essas informações, Gorean preparou uma armadilha para Balor. Sabia que não podia matá-lo, mas talvez conseguisse prendê-lo. Convocou todos os homens sobreviventes de sua vila e uma mu

A Cidade de Areia

A Cidade de Areia é uma cidade mitológica dos Povos do Deserto , em Klamodien, no extremo oeste de Aragus. Seu construtor é Bar-Adul , um ancião dos tempos antigos. Reza a lenda que a aldeia em que Bar-Adul vivia foi atacada por espíritos de areia. Todos os homens foram mortos, seus corpos dilacerados alimentaram as dunas. Bar-Adul, por ser o ancião, sobreviveu ao desastre, e teve que procurar os mortos enterrados na areia para rezar por cada alma. Ao desenterrar as crianças, viu que o sangue delas dera forma a um boneco de barro. O fato intrigante acabou distraindo Bar-Adul, que esqueceu de rezar pelas crianças. Ele guardou todos os bonecos em uma bolsa de couro e partiu para o deserto em busca de outra aldeia. Aït Benhaddou - antiga cidade na África do norte de Marrocos, inspiração para a Cidade de Areia Mais tarde, tomado pela sede e delirando de tanto calor, escutou crianças gemendo em sua bolsa: "Quero água! Quero água!", eram os bonecos de barro que choravam. Mas Bar-A