Pular para o conteúdo principal

Ahrozidir, A Rosa-das-Colinas

Um lírio branco em fundo azul
Lírio-branco

Ahrozidir é a mãe de Glaudir, protagonista de O Sangue da Deusa. Seu nome significa "rosa das elevações" ou "rosa das colinas".

É filha do Velho Coris e da Velha Edrina, senhores da grande fazenda Umilzend. Conheceu Glaucor, pai de Glaudir, em 950 da Era dos Reinos, quando este estava de viagem à Cordilheira de Andrus e precisou se abrigar da chuva em Umilzend. Os olhos dela "brilhavam de encanto" com suas histórias de alvanes, huarts e gigantes. Casou-se com ele cinco anos depois e teve Glaudir em 961 E. R.

É chamada pelo Velho Coris de "minha joia", provavelmente devido aos olhos verdes herdados da mãe Edrina. Olhos verdes são raros entre os ivirezes, mas Glaudir também herdou a cor.

Ahrozidir morre em 997 E. R., dois anos antes do início de O Sangue da Deusa. Segundo os moradores de Havis, morreu afogada no Lago Morgoly.

Sua morte teve um profundo impacto em Glaucor, que desistiu das missões em Atokuzi, e em Glaudir, que abandonou as viagens solitárias e priorizou o cuidado do pai.

Glaudir e Glaucor ainda conseguem vê-la em Sólut, espelho místico criado por Elenne e Betesen que mostra os mortos:

"Havia pequenos brilhos no vidro, pálidos e trêmulos, e o espelho ficava cada vez mais escuro. A lua cheia repousava prateada no céu noturno. Uma colina surgiu, vestida de gramíneas sem cor, e sobre ela uma mulher contemplava o brilho da lua. Seus cabelos negros e lisos flutuavam na brisa da noite. Glaudir sentiu seu perfume suave, frio. O rosto branco e os lábios vermelhos estavam alegres, podiam estar sorrindo.

— Estou vendo as estrelas brilhando na noite. Tem uma lua cheia, uma colina, e lá uma mulher passeia, olhando para a lua. Vejo a minha mãe — murmurou Glaudir. O medo que o trouxera para casa desapareceu. O filho sorriu, tímido."

(Descrição de Ahrozidir em O Sangue da Deusa)

Comentários

Mais vistas

Nirener, o Feiticeiro das Águas

Pouco se sabe sobre a vida mortal de Nirener, o feiticeiro das águas. Sabe-se que vivera na Floresta Alvatheon, mas onde exatamente é um mistério que ele teima em esconder. No presente, é descrito como "quieto demais e pensativo demais", bastante precavido e metido a fazer as coisas sempre sozinho. Foi um dos primeiros a tornar-se Mestre da Magia, o único a receber a imortalidade na Terra Sagrada dos Verith, onde foi navegante e depois discípulo de Obarath, O Justo, escolhendo a cor azul em sua capa para representar as águas do oceano. Ao retornar para Aragus (296 E. R.), tornou-se pupilo de Sil Barok, com quem aprendeu a evocar a Luz Azul da Proteção e tudo sobre os Miasmas da Noite, mantendo a cor da capa. Diante do poder de Havar, o monveran da morte que se alastrava por Haldom e corrompia os ivirezes, Nirener foi chamado para prendê-lo. Com a ajuda de Sil Barok, conseguiu trancafiá-lo nas "raízes de Atokuzi", dando fim a seu reino obscuro e iniciando