Pular para o conteúdo principal

Cariga, A Árvore do Milagre

Árvore rara que cresce nos picos das mais altas montanhas. Uma espécime foi encontrada por Betesen, esposa de Veridor, na Cordilheira dos Andrus quando eles fugiam do Reino de Mineth. Os alvanes construíram Ederon justamente para protegê-la, onde os dois cuidam da árvore.

Diz-se que o orvalho que escorre dos ramos durante a madrugada tem fortes propriedades medicinais, chegando a curar qualquer doença, mas é difícil coletá-lo. Quando em pouca quantidade, ele evapora ao toque da luz do sol, por isso Betesen estimula uma liberação maior do líquido com canções. O orvalho cai numa banheira e é armazenado em garrafas por Veridor. Além dos poderes de cura, acredita-se que o orvalho de cariga pode aumentar a solidez de objetos. Devido a essas propriedades, a cariga é mantida em segredo e seu acesso é restrito aos membros da família de Veridor, que temem que o uso descontrolado da árvore possa extingui-la.

Mais vistas

Nirener, o Feiticeiro das Águas

Pouco se sabe sobre a vida mortal de Nirener, o feiticeiro das águas. Sabe-se que vivera na Floresta Alvatheon, mas onde exatamente é um mistério que ele teima em esconder. No presente, é descrito como "quieto demais e pensativo demais", bastante precavido e metido a fazer as coisas sempre sozinho. Foi um dos primeiros a tornar-se Mestre da Magia, o único a receber a imortalidade na Terra Sagrada dos Verith, onde foi navegante e depois discípulo de Obarath, O Justo, escolhendo a cor azul em sua capa para representar as águas do oceano. Ao retornar para Aragus (296 E. R.), tornou-se pupilo de Sil Barok, com quem aprendeu a evocar a Luz Azul da Proteção e tudo sobre os Miasmas da Noite, mantendo a cor da capa. Diante do poder de Havar, o monveran da morte que se alastrava por Haldom e corrompia os ivirezes, Nirener foi chamado para prendê-lo. Com a ajuda de Sil Barok, conseguiu trancafiá-lo nas "raízes de Atokuzi", dando fim a seu reino obscuro e iniciando